Atos dos Apóstolos 4,23-31

AÇÃO DE GRAÇAS E ORAÇÃO DA IGREJA (23-31)

23-31: “23Postos em liberdade, voltaram aos seus irmãos e referiram tudo quanto lhes tinham dito os sumos sacerdotes e os anciãos. 24Ao ouvirem isso, levantaram unânimes a voz a Deus e disseram: Senhor, vós que fizestes o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há. 25Vós que, pelo Espírito Santo, pela boca de nosso pai Davi, vosso servo, dissestes: Por que se agitam as nações, e imaginam os povos coisas vãs? 26Levantam-se os reis da terra, e os príncipes se reúnem em conselho contra o Senhor e contra o seu Cristo (Sl 2,1s.). 27Pois na verdade se uniram nesta cidade contra o vosso santo servo Jesus, que ungistes, Herodes e Pôncio Pilatos com as nações e com o povo de Israel, 28para executarem o que a vossa mão e o vosso conselho predeterminaram que se fizesse. 29Agora, pois, Senhor, olhai para as suas ameaças e concedei aos vossos servos que com todo o desassombro anunciem a vossa palavra. 30Estendei a vossa mão para que se realizem curas, milagres e prodígios pelo nome de Jesus, vosso santo servo! 31Mal acabavam de rezar, tremeu o lugar onde estavam reunidos. E todos ficaram cheios do Espírito Santo e anunciaram com intrepidez a palavra de Deus.”

Esta prece dos Apóstolos e da comunidade é para os cristãos um modelo de oração e de confiança nos meios sobrenaturais. A oração inclui alguns versículos do Sl 2, cujas predições se cumprem em Jesus Cristo. No v. 31: O Espírito Santo quis dar um sinal externo da sua presença, para animar a Igreja nascente.