Atos dos Apóstolos 4,32-37

VIDA DOS PRIMEIROS CRISTÃOS (32-37)

32-37: “32A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém dizia que eram suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era comum. 33Com grande coragem os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. Em todos eles era grande a graça. 34Nem havia entre eles nenhum necessitado, porque todos os que possuíam terras e casas vendiam-nas, 35e traziam o preço do que tinham vendido e depositavam-no aos pés dos apóstolos. Repartia-se então a cada um deles conforme a sua necessidade. 36Assim José (a quem os apóstolos deram o sobrenome de Barnabé que quer dizer Filho da Consolação), levita natural de Chipre, possuía um campo. 37Vendeu-o e trouxe o valor dele e depositou aos pés dos apóstolos.”

Eis um novo resumo da vida da primeira comunidade cristã, que, presidida por Pedro e pelos outros Apóstolos, era a Igreja. Em Jerusalém, encontrava-se então, à maneira de planta nova, a Igreja de Deus na terra. O v.32: o texto insiste na unidade, que é uma virtude dos bons cristãos e uma nota da Igreja. A unidade da Igreja, cujo princípio vital é o Espírito Santo, tem como fator principal a Santíssima Eucaristia que consolida incessantemente, de maneira misteriosa, mas real, o corpo místico do Senhor.

Os vv. 34-35: O desprendimento dos discípulos não denota só solicitude para com os necessitados. O texto sugere que os cristãos de Jerusalém mantenham um sistema organizado de assistência material aos pobres da comunidade. E, os vv. 36-37: Menciona-se Barnabé pela sua generosidade e porque vai desempenhar um papel destacado na difusão do Evangelho.