DOUTRINA (3)

O ESPÍRITO SANTO

Há diversos passos em que se alude ao Espírito Santo. Assim, por exemplo, quando se fala dos sete espíritos que estão diante do trono, ou às sete lâmpadas acesas[1]. Além destas referências indiretas ensina-se claramente que é o Espírito Santo Aquele que fala às Igrejas[2]. No fim, a voz do Espírito une-se à voz da Esposa para suplicar a vinda de Cristo. Este passo recorda a doutrina de São Paulo acerca da oração do Espírito Santo, que intercede por nós com gemidos inefáveis[3]. No Apocalipse, o Espírito Santo é apresentado em função da Igreja, que alenta com a Sua palavra e anima com um impulso interior que a impele a suplicar a vinda do Senhor.


[1] Ap 1,4; 4,5.

[2] Ap 2,7.11.17; etc.

[3] Rom 8,26.