INTRODUÇÃO (6)

LINGUAGEM E ESTILO DO APOCALIPSE

O uso de imagens simbólicas é da mesma natureza do gênero apocalíptico, porque a índole transcendente e sobrenatural da mensagem reclama o uso de comparações, que por aproximação facilitam a intuição profunda, mais que o conhecimento exato, daquilo que se pretende dizer.

Imagens utilizadas, as vezes são objetos: Candelabro de ouro com sete braços[1], o livro dos sete selos[2], as duas oliveiras[3], etc… Outras vezes, são gestos: marcar a fronte dos eleitos[4], comer o livro da profecia[5], tomar a medida do Templo[6] etc… Também, cidades se transformam em símbolos, como Sião, Jerusalém, Babilônia, Meguido[7]. Os números, também possuem, valor simbólico: Três, faz referência ao sobrenatural e divino, o quatro ao que foi criado, o sete exprime plenitude, e o mesmo acontece com o número doze. Também as cores: Branco, é a vitória, pureza, o vermelho a violência, o negro a morte.

Também é próprio do gênero apocalíptico o que podemos chamar “lei da antecipação”, isto é, anunciar brevemente um acontecimento que logo será desenvolvido com amplitude.


[1] Ap. 1,12.

[2] Ap 5,1.

[3] Ap 11,4.

[4] Ap 7,3.

[5] Ap 10,8-11.

[6] Ap 11,1

[7] Ap 14,1; 3,12; 21,2; 14,8; 18,2; 16,14.16 etc…