Ap 3,14-22

PRIMEIRA PARTE

CARTAS ÀS SETE IGREJAS

CARTA À IGREJA DE LAODICEIA

14Ao anjo da Igreja que está em Laodiceia, escreve: Assim fala o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus. 15Conheço teu comportamento: tu não és frio nem quente; quem dera que fosses frio ou quente! 16Assim, porque és morno, nem frio e nem quente, estou para vomitar-te de minha boca. 17Tu pensas que és rico, que te enriqueceste e não precisas de nada; então não vês que és infeliz, miserável, pobre, cego e nu? 18Eu te aconselho a comprar de mim ouro purificado no fogo para te enriqueceres, roupas brancas para vestires e esconderes a vergonha de tua nudez e também um colírio para ungires os olhos e recuperares a vista. 19Eu repreendo e corrijo os que amo. Recobra, pois, o ardor e arrepende-te! 20Eis que estou à porta e bato; se alguém ouve minha voz e abre a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo. 21Ao vencedor, eu o farei sentar-se comigo em meu trono, como eu mesmo venci e sentei-me com meu Pai em seu trono. 22Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas.

14. Laodicéia encontra-se nos confins da Frígia, a uns 60 kM de Filadélfia. Aqui Jesus Cristo recebe o título de “Amém”. Jesus Cristo é o Princípio da Criação, junto com o Pai e o Espírito Santo.

15-16. As circunstâncias prósperas em que vivia Laodiceia puderam contribuir para a situação de laxidão e de tibieza recriminadas.

17-19. A Igreja de Laodiceia não se dava conta da sua perigosa situação espiritual. O florescimento da sua indústria e comércio, assim como a falta de perseguições, fazia-a crer-se rica e sem necessidades de nada, unindo à tibieza o orgulho e a soberba. Em Laodiceia existia uma importante indústria têxtil, dedicada em especial à fabricação de tecidos de lã negra. Em lugar de pôr-se esses tecidos hão de vestir-se das vestes brancas. Ao final do v.19, pede para reanimar o zelo. Equivale a dizer: Sai, portanto, da tibieza e entra no fervor da caridade, no zelo ardente pela glória de Deus.

20-22. A imagem de Cristo a chamar à porta é das mais belas e enternecedoras da Bíblia. Recorda Ct 5,2. É um modo de expressar o afã divino que nos chama a uma intimidade maior. O Senhor espera a nossa resposta ao seu apelo, e quando nos esforçamos em responder reavivando a vida interior, chega a produzir o gozo inefável da intimidade com Ele.

Jesus Cristo afirma que os que vencerem se sentarão com Ele no seu trono. Resposta parecida tinha dado a São Pedro quando prometeu aos Apóstolos que se sentariam em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel (Mt 19,28). Por “trono” entende-se o poder soberano que Cristo recebeu do Pai.