DESOLAÇÃO

Há dias em que tudo parece estar cinza. Inácio de Loyola passou por essa situação, alguns meses após a sua conversão. Foi em Manresa.

Vinham-lhe muitas vezes tentações, com grande ímpeto, até para lançar-se de um buraco grande que aquele quarto tinha, junto do lugar onde fazia oração. Mas, sabendo que era pecado matar-se, voltava a gritar: Senhor, não farei nada que te ofenda! E repetia estas palavras muitas vezes (Autob. 24).

Hoje, não são poucos os que experimentam a desolação e a depressão ao mesmo tempo. Elas chegam devagarinho e se instalam no fundo da alma, desanimando e paralisando a pessoa. Alguns critérios permitem diagnosticar uma e outra. A depressão é psicológica e necessita de ajuda médica; a desolação é espiritual e precisa ser partilhada fraternalmente com um acompanhante espiritual.

Chamo de desolação a obscuridade da alma, a perturbação, a incitação a coisas baixas e terrenas, a inquietação, falta de fé, de esperança e de amor; achando-se a pessoa espiritualmente preguiçosa, tíbia, triste e como estando separada do seu Criador e Senhor…

A desolação espiritualesfria o relacionamento com Deus e, provavelmente na sua origem, há uma derrota espiritual. Deus nos quer consolados!

  1. Coloque-se, pois, na presença de Deus e faça o santo sinal da Cruz.
  2. Faça a Oração Preparatória para que todas as suas intenções (pensamentos), ações e operações (sentimentos) sejam, neste momento, puramente ordenadas e colocadas a serviço e louvor de sua Divina Majestade.
  3. Peça a Deus a graça de viver consolado, com fé, esperança e amor…
  4. Leia com fé no Evangelho segundo S. Mateus 8,23-27:
    • Levantou-se uma grande tempestade…
    • Porque temeis, homens de pouca fé…
    • Mandou aos ventos e ao mar que se acalmassem…
  5. Finalize sua oração com um colóquio, pedindo o dom da consolação.
  6. A seguir, faça a sua avaliação: Como se sentiu? Apelos sentidos? Dificuldades encontradas?
Fonte: Centro de Espiritualidade Inaciana – ITAICI, Vila Kostka