DOM DO DISCERNIMENTO

Iniciação à experiência dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio e Princípio & Fundamento

19º EXERCÍCIO

O Princípio e Fundamento nos EE convidou-nos a nos sentir criaturas amadas por Deus Pai/Mãe. Somos responsáveis uns pelos outros e também pelo meio-ambiente, pela natureza.

Para isso poder acontecer, devemos ser livres interiormente diante de tudo e todos, e escolher o que mais ajuda na nossa vocação humana de sermos irmãos de todos. Para poder usar essa regra inaciana do “tanto quanto” diante das coisas precisamos do dom do discernimento.

Discernimos nossos pensamentos e moções (consolação/desolação), acolhendo o que é bom e positivo e deixando de lado o mau e negativo.

O discernimento, buscar a vontade de Deus, se faz sobre coisas ou propostas boas. Para isso, é integrado à oração e examinado racionalmente, buscando razões evangélicas a favor e contra, em prol de uma decisão. Percebo o que sinto (consolação ou desolação) diante da eventualidade de uma decisão. E decido (todo discernimento leva a uma decisão!) e peço para que a decisão tomada seja confirmada pela consolação interior.

  • Entrando em oração. Faça silêncio e respire serenamente. Lembre que vai encontrar o Senhor… Ponha-se na presença de Deus e faça o Sinal da Cruz… Inicie a oração sentado, de pé ou de joelhos, como ajudar mais. Peça ao Pai que envie o Espírito Santo, para que os seus pensamentos, sentimentos e desejos estejam inteiramente voltados para o louvor e serviço do Senhor.
  • Graça a pedir: Reconhecer que muitas vezes agimos instintiva e irracionalmente, sem considerar o horizonte maior da vontade de Deus. Que nossas decisões sejam sempre ordenadas e colocadas a serviço de Deus e dos outros. Atitudes novas e criativas que brotam do amor e do respeito ao mundo Criado.
  • Leio com fé Sabedoria 9,1-18 e medito (inteligência, entendimento e vontade…):
    • Criador de todas as coisas…
    • Dai-me a sabedoriaFazei-a descer do vosso santo céu…
    • Para que, junto de mim, tome parte em meus trabalhos…
  • Colóquio. Converso com Deus como Pai/Mãe sobre aquilo que percebi e senti neste tempo de oração… Termino com um Pai Nosso e saio sem pressa da oração.
  • Revisão da oração. Reveja como se sentiu neste exercício e anote no seu caderno de vida: Data de hoje; versículo ou palavras que mais o (a) tocaram… Sentimentos experimentados (Consolação? Desolação?…); apelos sentidos; dificuldades ou resistências encontradas…
Fonte: Centro de Espiritualidade Inaciana – ITAICI, Vila Kostka