MEDITAÇÃO DAS DUAS BANDEIRAS

Para que o Senhor nos “cristianize” precisamos confrontar o estilo de vida de Jesus com o próprio, buscando maior simplicidade e liberdade. A Eleição de estado de vida ou a reforma dela podem demorar alguns dias, enquanto se contempla a vida pública de Jesus desde o Batismo até Betânia.

Eis a parábola inaciana:

  • 1º ponto: Imaginar o chefe de todos os inimigos, naquele enorme campo de Babilônia, sentado num trono de fogo e fumaça, com um aspecto horrendo e espantoso.
  • 2º ponto: Considerar como ele chama inúmeros subalternos (correligionários, capangas) e os espalha pelas diversas cidades e pelo mundo todo, sem deixar região, lugar, estado de vida ou pessoa alguma em particular.
  • 3º ponto: Considerar o discurso que lhes dirige: os exorta a lançar redes e cadeias enganosas, armar arapucas e tentar com a ganância da riqueza, para assim chegar à honra vã do mundo e à grande soberba.

De modo contrário imaginar o chefe supremo e verdadeiro, Cristo Nosso Senhor.

  • 1º ponto: Imaginar Cristo Nosso Senhor, num grande campo de paz, naquela região de Jerusalém, em lugar humilde, belo e gracioso.
  • 2º ponto: Considerar como Jesus, Senhor do Mundo inteiro, escolhe tantas pessoas e as envia por todo o mundo.
  • 3º ponto: Considerar também a alocução que lhes dirige recomendando-lhes que procurem ajudar a todos, com simplicidade, desprendimento das coisas e glórias do mundo, ficando assim livres, humildes, abertos para acolher a vida nova e verdadeira do Reino.

Esta meditação visa o discernimento e que o seguimento de Jesus Cristo seja sem enganos. Perceber quando estamos agindo, inspirados e impulsionados pelo Espírito de Jesus e quando estamos agindo iludidos pelo mau espírito, envolvidos nos seus enganos.

  1. Coloque-se na presença de Deus. Respire tranquilo e profundamente, pensando que vai se encontrar com o Senhor. Faça devagar o sinal da Cruz, marcando o seu corpo.
  2. Faça a oração preparatória. Que todas as minhas intenções (pensamentos), ações e operações (sentimentos) sejam ordenadas e colocadas a serviço do Senhor.  
  3. Peça a graça que precisa neste momento: Conhecimento interno do Senhor para mais amá-lo e segui-lo…
  4. Leia com fé Lucas 4, 1-13 ou Mateus 4, 1-11: Depois de batizado foi Jesus para o deserto. Ali foi tentado pelo inimigo… Vieram os anjos e o serviram.
  5. Finalize com um colóquio, conforme sentir e faça a revisão da oração anotando os sentimentos experimentados; apelos sentidos; dificuldades ou resistências encontradas…
Fonte: Centro de Espiritualidade Inaciana – ITAICI, Vila Kostka