Maria, na Sagrada Escritura (20)

Maria em Mateus – Parte 5 

Parte de um versículo   

…da qual nasceu Jesus, que é chamado Cristo”

Mt 1,16b

Cabe um destaque ao evangelista Mateus, de como ele coloca no texto o nome de Maria:

  • Desde o início da genealogia (vv. 2-16a): “Abraão gerou Isaac, Isaac gerou Jacó...”.
  • No v.16, o evangelista muda o estilo para dizer: “Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo”.
  • Ao invés de dizer José gerou Jesus, o evangelista recorre a essa mudança de frase. Qual o motivo?

Os antepassados de Jesus, desde Abraão (v.2) a Jacó, pai de José (v.16a), geram seus filhos conforme a lei natural.

  • Mas, no caso de Jesus, há uma exceção, não existe pai humano;
  • Sua concepção no ventre de Maria não é fruto da semente de José, mas se deve a intercessão direta do Espírito Santo (1,18d.20d), acontecimento encantador se cumpriu em Maria, antes que ela passasse pelo momento de ir habitar na casa de seu esposo (1,18b-c).

Na origem humana de Cristo não está José, mas sim Maria, que “achou-se grávida pelo Espírito Santo” (Mt 1,18). A novidade é que Jesus tem Deus por Pai (Mt 2,11, que cita Os 11,1); depois Mt 4,3.6; 14,33; 17.5).

O evangelista afirma que José é esposo de Maria (1,16), e que Maria é esposa de José (1,20.24), mas evita escrever que José seja pai de Jesus. Preocupação que transparece também em 2,13-23, no relato da fuga para o Egito e o posterior retorno à Israel.

De José, por quatro vezes, se diz que tomou “o menino e a sua mãe” (2,13.14.20.21).

De Abraão a Cristo (Mt 1,1-16), o itinerário da história da salvação não representou uma viagem triunfal, mas se tratou de um misto de graça e pecado, uma alternância de luzes e sombras. Ao lado do amor de Deus, que se mantém indefectível, há o componente humano, capaz de se elevar, mas inclinado a quedas. Entre os seus antepassados, Cristo tem santos e pecadores.

A longa peregrinação, de Abraão a Cristo alcança sua meta em Maria. Pela vocação singular que lhe é confiada, também ela se faz testemunha da fidelidade de Deus às suas promessas de ficar do lado do homem (Gn 3,15). A Virgem sai do rio das gerações humanas como o alvorecer que prepara o dia de Cristo, salvação eterna. “Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo” (Mt 1,16).

Fonte: Fiores, Stefano / Meo, Salvatore. Dicionário de Mariologia, verbete: Bíblia, Serra, Aristide,osm. Ed. Paulus, São Paulo-SP, 1995.