Maria, na Sagrada Escritura (13)

MARIA NOS ESCRITOS PAULINOS

Os escritos paulinos nada relatam sobre Maria, mãe de Jesus. O silêncio é compreensível:

  • Grande parte das epístolas paulinas foram escritas antes dos Evangelhos;
  • Ainda não estava desenvolvida a consciência a respeito do papel de Maria na comunidade cristã;
  • Como Paulo não conviveu com Jesus, relata poucos fatos do Jesus de Nazaré e sua missão de inaugurar o Reino de Deus;
  • Paulo reflete mais a respeito da morte e ressurreição de Jesus.

Há apenas um texto de Paulo no qual faz citação a Maria. Ela não é chamada pelo nome, e nada se fala de suas qualidades:

4Mas quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sujeito à lei, 5para resgatar os que estavam sujeitos à lei, a fim de recebermos a adoção filial. 

Gl 4,4-5.

Paulo não desenvolveu uma reflexão acerca do papel de Maria na comunidade cristã. Alguns mariólogos maximalistas encontram nesses breves versículos grande homenagens a Maria, mas tal parecer não tem apoio da maioria dos biblistas. Não há consenso a respeito do conteúdo mariano de Gl 4,4-5. O que é afirmado por unanimidade é que Paulo reforça a realidade da encarnação do Filho de Deus com a expressão nascido de mulher.

Fonte: Murad, Afonso. Maria toda de Deus e tão humana, compêndio de Mariologia. Ed. Paulinas – São Paulo/SP e Santuário – Aparecida/SP, 2015.