Maria, na Sagrada Escritura (16)

Maria em Mateus – parte 1

Introdução

Mateus dá um passo a mais na descoberta da figura de Maria. Ela é a mãe virginal do Messias, sob a ação do Espírito Santo e diminui a oposição entre a família sanguínea e o grupo de seguidores de Jesus.

No Evangelho de Mateus nos é transmitido, dois tipos de memória em relação a Maria:

  • Uma no curso do ministério público de Jesus;
  • Outra, nos dois primeiros capítulos, relativos à infância.

No Ministério público:

  • Mateus anota a visita que lhe é feita pela mãe e os irmãos (12,46-50), também presente:
    • Mc 3,31-35;
    • Lc 8,19-21.
  • E, o comentário dos nazarenos sobre Jesus: “Não é ele o filho do carpinteiro? Não se chama a mãe dele Maria e os seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? E as suas irmãs não vivem todas entre nós”, conforme Mt 13,55 e Mc 6,3.

Mas, é nos dois primeiros capítulos de seu Evangelho, que Mateus apresenta um testemunho autônomo e próprio sobre Maria, que será dividido em temas de caráter mariológico:

Veremos numa primeira parte:

  • A genealogia de Jesus:
    • Livro da origem…
    • Quatro mulheres na genealogia. Por quê?
    • Jacó gerou José, o esposo de Maria…
    • Conclusão
  • Is 7,14 relido por Mt 1,22-23
    • Contexto original de Is 7,14
    • Interpretação
    • Conclusão

Veremos numa segunda parte:

  • Maria, Virgem
    • Grávida por obra do Espírito Santo;
    • Os irmãos de Jesus.
  • Maria, Rainha
    • Mt 2,11
  • Maria, Mãe de Deus
    • Mt 1,18-25
  • José, esposo de Maria

Mas, vale registrar nesta introdução alguns paralelos (//) entre o início da história de Jesus / Etapas da história do Povo de Israel:

  • Nascimento de Moisés // Nascimento de Jesus;
  • Hebreus vão para o Egito // Jesus vai para o Egito;
  • Expressão “para se cumprir as Escrituras”, cf. Mt 2,15.17.23 // Jesus realiza o sonho de seu povo.
  • A Genealogia (Mt 1,1-17), construída em três blocos de quatorze gerações, mostrando os altos e baixos do Povo de Deus // Jesus tem sua raiz no povo de Israel (é filho de Davi e filho de Abraão – Mt 1,1).

O evangelista antecipa na infância de Jesus a ruptura com o Judaísmo:

  • Enquanto o rei Herodes tenta matá-lo // reis de outros povos vêm a sua procura para lhe homenagear (Mt 2,1-12)

Final do Evangelho de Mateus (Mt 28,16-20) // Início do Evangelho de Mateus (Mt 1-2)

  • Mt 1,23: Jesus é o “Emanuel” // Mt 28,20: Estarei convosco é o “Deus conosco”;
  • Mt 2,11: reis Magos reconhecem Jesus como Senhor // Mt 28,17: discípulos reconhecem Jesus como Senhor, pois o adoraram;
  • Mt 2,1-12: Sua pessoa e mensagem se destinam a todas as nações // Mt 28,19: Ide fazei discípulos em todos os povos (nações).

Jesus já não pertence ao Judaísmo.

Fonte:

  • Fiores, Stefano / Meo, Salvatore. Dicionário de Mariologia, verbete: Bíblia, Serra, Aristide,osm. Ed. Paulus, São Paulo-SP, 1995.
  • Murad, Afonso. Maria toda de Deus e tão humana, compêndio de Mariologia. Ed. Paulinas – São Paulo/SP e Santuário – Aparecida/SP, 2015.