Maria, na Sagrada Escritura (21)

Maria em Mateus – Parte 6   

Releitura de Isaías por Mateus

Após o Evangelista Mateus, narrar a concepção virginal de Jesus (Mt 1,18-21), temos os versículos 22-23: “22Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor tinha dito pelo profeta com estas palavras: 23A virgem conceberá e dará à luz um filho, a quem chamarão Emanuel, nome que significa ‘Deus conosco’”. Onde Mateus, cita o oráculo de Is 7,14.

Vejamos o contexto original de Is 7,14, onde a profecia de Isaías fará parte dos acontecimentos relacionados a guerra sírio-efraimita contra o reino de Judá:

  • Estamos em 734-733 aC;
  • Neste período morre Joatão, rei de Judá (onde ficava a cidade de Jerusalém e seu Templo);
  • Quem sucede Joatão: – seu filho Acaz, com apenas 20 anos.
  • Nesta época Rason (rei de Damasco) e Facéia (rei de Israel, que ficava ao Norte de Judá) declaram guerra contra o jovem soberano Acaz:
  • Estes reis queriam invadir a Assíria (que se encontrava em expansão);
  • Mas, Acaz se recusa a se unir aos dois reis na coalizão contra Teglat-Falasar III (rei da Assíria);
  • O exércitos de Damasco e Israel, pressionam as portas de Jerusalém (Judá).
  • Então, Acaz decide pedir ajuda a Teglat-Falasar III, momento em que entra em cena o profeta Isaías, que procura dissuadir Acaz de seu projeto. Por quê?
    • Aliar-se a monarca assírio, equivalia a reconhecer também as falsas divindades por ele adoradas;
    • Tal ato, colocaria Acaz em contraste com o primeiro mandamento da Aliança: “Não terás outros deuses diante de mim” (Ex 20,3);
    • Acaz recusa a advertência de Isaías;
    • Então Isaías, endereça o seu oráculo à casa de Davi, que estava sendo ameaçada – Is 7,13: “Isaías disse: “Ouvi, casa de Davi: não vos basta fatigar os homens, mas ainda fatigais também meu Deus?”
    • O profeta, ainda aumenta o tom de seu falar, de diz: – que a jovem esposa de Acaz (Abia) dará a luz um filho (Ezequias), ao qual dará o nome augural de Emanuel, que significa Deus conosco.

O desenvolvimento imediato dos fatos confirmou a veracidade da profecia:

  • No ano de 733 aC, Teglat-Falasar III, ocupou a Samaria;
  • No ano de 732 aC, Damasco caiu nas mãos dos assírios;
  • No inverno de 733-732, nasceu Ezequias.
  • Ezequias sucedeu a seu pai e o seu bom governo demonstrou realmente que “Deus está conosco”, isto é, com o seu povo (Is 8,10).

A casa de Davi, à qual o Senhor prometeu estabilidade perene pela boca de Natã (2Sm 7,8-16), sobreviveu graças à pessoa e à obra do Emanuel-Ezequias.

Essa interpretação do célebre oráculo de Is 7,14 é chamada indiretamente messiânica, por considerar Ezequias como arquétipo de Cristo.

Fonte: Fiores, Stefano / Meo, Salvatore. Dicionário de Mariologia, verbete: Bíblia, Serra, Aristide,osm. Ed. Paulus, São Paulo-SP, 1995.