Maria, na Sagrada Escritura (8)

Fundamentos bíblicos

A Mãe de Jesus nos escritos neotestamentários

Chama especial atenção o fato de os textos paulinos mais antigos não revelarem interesse numa reflexão mariológica. Somente em Gl 4,4 se menciona que o Filho enviado por Deus é “nascido de mulher”. Essa fórmula, quer expressar a humanidade do Redentor: Jesus é verdadeiro homem, como todos os seres humanos, ele é nascido de mulher.

Ao todo são vinte perícopes dos Evangelhos, nas quais Maria é mencionada, podem ser resumidas nos seguintes blocos temáticos:

  • Testemunhos da origem de Jesus (Mc 6,3; Mt 13,55; Jo 6,42; em Lc 3,23; 4,22 é mencionado José em contexto semelhante);
  • Controvérsia em torno da Importância do parentesco com Jesus (Mc 3,31-35; Mt 12,46-50; Lc 8,19-21; 11,27s);
  • Acompanhamento de Jesus no grupo de suas discípulas e de seus discípulos (Jo 2,12);
  • Maria sob a cruz (Jo 19,26s).

Acrescenta-se, ainda as narrativas de infância em Mt 1-2 e Lc 1-2.

O nome Maria se encontra, nas narrativas de infância, nas discussões sobre a origem, em Marcos e Mateus e em At 1,14. As demais passagens falam de “sua mãe”, como João usa em toda parte.

Fonte: Müller, Alois / Sattler, Dorothea, MANUAL DE DOGMÁTICA – Volume II, Schneider, Theodor (org.), Ed. Vozes, Petrópolis-RJ, 2001