Advento

O tempo do Advento abre o ano litúrgico e prepara toda a Igreja para as festividades do Natal do Senhor. Aproveitemos este tempo para descobrir em nossas vidas este Deus vivo e verdadeiro.

O advento, em sua estrutura litúrgica, consta de quatro domingos. É tempo litúrgico praticamente formado de dois períodos:

  1. Do primeiro domingo do Advento até 16 de dezembro dá-se maior evidência ao aspecto escatológico e procura orientar as almas para a espera da vinda gloriosa de Cristo;
  2. Do dia 17 de dezembro ao dia 24, todos os textos orientam-se mais diretamente à preparação do Natal.

Neste tempo litúrgico emergem três figuras bíblicas: o profeta Isaías, João Batista e Maria

  1. Isaías: porque nele, mais do que nos outros profetas se encontra um eco da grande esperança que confortou o povo eleito durante os séculos duros e decisivos da sua história. As leituras constituem um anúncio de esperança perene para os homens de todos os tempos;
  2. João Batista: é o último dos profetas. É sinal da intervenção de Deus em favor do seu povo; como precursor do Messias, tem a missão de preparar os caminhos do Senhor (Is 40,3), de oferecer a Israel o “conhecimento da salvação” (Lc 1,77-78) e, sobretudo, de apontar Cristo já presente no meio do seu povo (Jo 1,29-34)
  3. Maria: pela maneira feliz de sua cooperação no Mistério da Redenção. Não é justo, porém, chamar o advento de o melhor “mês de Maria”, exatamente porque este tempo litúrgico é essencialmente celebração do mistério da vinda do Senhor, mistério a que se acha particularmente ligada a cooperação de Maria.

A solenidade da Imaculada Conceição, celebrada no princípio do advento (8 de dezembro), não significa parênteses ou ruptura da unidade deste tempo litúrgico, mas é parte do mistério. Maria Imaculada é o protótipo da humanidade redimida, o fruto mais excelso da vinda redentora de Cristo.

Aproveitemos este Tempo de Graça!

Fonte: Dicionário de Liturgia, verbete: advento. Dom Augusto Bergamini (Diocese de Módena-It).