Não tenhas medo…

Lc 21,5-11: Não ficará pedra sobre pedra

Cuidado com as ostentações da casa comum, nossa igreja particular, de nosso templo, nosso corpo. Muitos oferecem grandeza e sou chamado a também seguir este caminho, haja visto as ofertas nas redes sociais, convidando ao consumo puro, e agora com esta onda de Black Friday. Qual o objetivo de tudo isto? Há necessidade? – Assim foi a ruína de Jerusalém, pode ser a nossa ruína.

Que o Senhor nos dê sabedoria para discernir “os sinais dos tempos”, e que no meio de tudo que nos assombra, consigamos escutar sua voz e segui-lo.

Que consigamos ser fiéis a Aliança, que é sinal de nossa resposta, a esta escuta a proposta de Deus, proposta prática e viva em nossas vidas. Esta é a surpresa de Deus a cada momento e as experiências que fazemos, cada um a faz de um modo diferente, pois o amor de Deus abrange a todos, e fala ao nosso coração e a cada um de nós.

Esta é a beleza desta preparação para o advento, devagarinho ir penetrando no mistério da encarnação de Cristo.

No texto vemos os discípulos ponderarem diante do Senhor sobre a grandeza do Templo, e o Senhor os responde com o famoso “discurso escatológico” evocando os acontecimentos finais da história. Esta passagem irá se repetir, também nos Evangelhos de Mt 24,1-51 e Mc 13,1-37.

Jesus, em suas palavras toca em três questões: 1ª) Destruição de Jerusalém (que aconteceu quarenta anos depois); 2ª) O fim do mundo; 3ª) Segunda vinda de Cristo em sua glória e majestade.

Símbolos, de perseguições à Igreja ou a nossa igreja doméstica (família) ou a cada um de nós, que devemos tratar com muita insistência: a) paciência; b) oração; c) vigilância.

Jesus, fala com autoridade e estilo profético, trazendo imagens do Antigo Testamento. Algumas dessas profecias se cumprirão agora outras ao fim da história. Devemos entender, que o Senhor não quer satisfazer plenamente nossa curiosidade sobre os acontecimentos futuros, mas, sim, quer evitar o desânimo, abatimento e o escândalo que tais dificuldades podem vir a trazer. Por isto anima a todos “Tomai cuidado para não serdes enganados…” (v.8); “…não fiqueis com medo…” (v.9); “cuidado, para que vossos corações não se embruteçam…”

Os discípulos ao saberem da destruição de Jerusalém, perguntam: qual seria o sinal que anunciaria tal acontecimento (vv. 5-7). Jesus responde com uma advertência “Tomai cuidado para não serdes enganados…”, há muitos falsos profetas, sejam fiéis a mim.

Cabe notar aqui, a mentalidade judaica da época, que relacionava entre si: a destruição da Cidade Santa e o Fim do Mundo. Mas, Jesus esclarece a eles: a destruição do Templo e de Jerusalém é como um sinal, um símbolo do que acontecerá no fim do mundo.

O Senhor, não quer que seus discípulos confundam: fomes, terremotos, guerras, perseguições, como sinais de proximidade do fim do mundo. Jesus, nos diz, “não fiquem com medo…”, estas coisas acontecem, mas não será o fim; pelo contrário, no meio de tantas dificuldades, anunciemos o Evangelho, pois estas adversidades não devem paralisar a pregação da fé. Nos coloquemos em saída! Animai-vos!