O artigo abaixo, extraído do portal Zenit.org de 28 de junho, de autoria de Daniel Marques (formado em Humanidades Clássicas em Salamanca, Espanha, obteve a graduação e o Mestrado em Filosofia em Roma, e atualmente cursa o 2o. ano de teologia na arquidiocese do Rio de Janeiro), que também poderá ser consultado: www.cienciafecultura.org; ddsmarques@gmail.com; www.facebook.com/cienciafecultura.  Vale a leitura, pois é possível um ...

O tempo da Escritura inspirada terminou; começa agora uma literatura propriamente dita, feita por homens, mas, como diz Bossuet (†1704), por homens “nutridos com o trigo dos eleitos, repletos daquele espírito primitivo que receberam de mais perto e com mais abundância da própria fonte”, homens que foram instruídos pelo exemplo dos Apóstolos e que participam diretamente na conquista do mundo ...

A história da Patrística se distribui ao longo de mais ou menos oito séculos. Nela, costumam ser incluídos alguns autores que, embora não tenham preenchido o requisito de santidade de vida, foram importantes em seu desenvolvimento. No âmbito da Teologia, para designar esta época e estes autores, emprega-se o termo Patrologia. Assim, Patrística é o termo empregado pela filosofia e ...

Designa-se o período dos Padres da Igreja (em latim pater, patris = pai). Este período vai mais ou menos do século II ao século VIII. Os Padres destacaram-se pelo esforço em dar à doutrina cristã uma interpretação adequada aos ensinamentos bíblicos e, além disso, respostas às exigências concretas da existência humana situada historicamente. As suas preocupações voltaram-se, sobretudo, para o ...

A religião cristã tomou contato com a filosofia no século II da nossa era, se baseava desde seu início, no ensinamento dos Evangelhos, isto é, na fé na pessoa e na doutrina de Jesus Cristo. Os Evangelhos Sinóticos (Mateus, Lucas e Marcos) anunciam ao mundo uma boa nova. Um homem nasceu em circunstâncias maravilhosas; ele tinha por nome Jesus; ensinou ...

No final do século I e início do século II,  estava em desenvolvimento o último grande sistema da filosofia grega, o “neoplatonismo”[1], e, na cidade de Roma, estava em difusão a filosofia das escolas morais helênicas (Estoicismo; O Pensamento: Gnosiologia e Metafísica; A Moral e a Política), também, espalhavam-se rapidamente pelo Ocidente as doutrinas de uma nova religião: o cristianismo. Comparando o ...